-->

Bolsonaro e o dilema central dos Simulacros

Bolsonaro. (Reprodução)
O dilema do governo conservador é este: como enfrentar democraticamente uma máfia que domina e gerencia as instituições democráticas, atualmente reduzidas a meros simulacros? Noutras palavras, é possível combater escorpiões respeitando os escorpiões que se escondem nos simulacros?

Mas antes de continuar, deixe-me esclarecer o que é um simulacro: é tudo o que engana o espectador ou o usuário, transmitindo a falsa impressão de que se está lidando com o real, quando, na verdade, trata-se de um disfarce para realizar exatamente o oposto do que se propõe. 

Por exemplo, um simulacro de arma de fogo promete capacidade de tiro, mas não atira. Um simulacro de remédio promete a cura, mas agrava a doença. Um simulacro de mulher promete feminilidade e graça, mas entrega silicone mesclado com ideologia de gênero. 

Pois bem. O Brasil não tem um Supremo, mas um simulacro de Supremo. Não tem um Congresso, mas um simulacro de Congresso. Não tem uma organização de advogados, mas um simulacro de organização de advogados. 

Do mesmo modo, não temos jornalistas, mas simulacros de jornalistas. Não temos analistas políticos, mas simulacros de analistas políticos. E não temos homens livres e pensantes, mas simulacros de homens livres e pensantes, que são os isentões. 

Como chegamos a esse estado grave e demencial envolve um século de história, desde a chegada das organizações marxistas ao país a partir de 1910/1920 até os dias de hoje, quando juízes querem governar no lugar do governo federal, e a bandidolatria tomou o lugar que antes era ocupado pelo respeito à polícia e às leis. 

O dilema social, cultural, moral e criminal colocado pelos simulacros marxistas ainda não foi totalmente compreendido pelo brasileiro. 

Muitos ainda acreditam que um simulacro de democracia é a mesma coisa que democracia, mesmo testemunhando, todo santo dia, que esse simulacro traz tirania, abusos, destruição do tecido social e empobrecimento da população.

Referências: 

https://www.facebook.com/marco.frenette/posts/10217253187297031 

VerOcultarComentários
Cancel