O isolamento pode piorar a situação, dizem pesquisadores de Harvard

Covid-19. (Nattthewafflecat/Pixabay/Reprodução)
A Suécia pode ser o único país do mundo que vai acertando no combate ao coronavírus. Eles não fecharam nada e não proibiram nada e agora pesquisadores de Harvard dizem que eles podem estar certos.

Em um relatório da Universidade de Harvard, quatro epidemiologistas e imunologistas investigaram como um isolamento total da sociedade afetará a disseminação do COVID-19 a longo prazo. 

Eles usaram os EUA como ponto de partida, mas o método pode ser usado em vários outros países. Os quatro pesquisadores chegaram à conclusão de que o modelo sueco pode ser a melhor maneira de combater o vírus

Se você isolar, fechar a sociedade agora, os cientistas estimam que haverá um boom violento de pessoas infectadas no outono e durante o inverno. Isso vai acontecer junto com a temporada regular de gripe. 

Portanto, na Suécia, acredita-se que haverá uma proporção maior de imunes porque não se praticou o isolamento, a conta vai ficar mais barata na próxima rodada. 

Grande infecção no inverno: 

Se, em uma fase inicial, forem tomadas medidas que levem a uma redução de 60% nas pessoas infectadas, existe o risco de muitas pessoas serem infectadas neste inverno, segundo os pesquisadores. A razão para isso é que haverá tão poucos infectados que a sociedade não vai adquirir imunidade ao vírus. 

NESSE CASO, SERIA POSSÍVEL OBTER UM PICO COM MAIS INFECTADOS E UMA CARGA MAIOR PARA OS HOSPITAIS DO QUE SE NENHUMA MEDIDA TIVESSE SIDO IMPLEMENTADA. 

Terá nova epidemia: 

Se você introduzir apenas o distanciamento social em uma fase inicial, os pesquisadores de Harvard acreditam que isso terá pouco efeito. 

“UM ÚNICO PERÍODO DE DISTANCIAMENTO SOCIAL NÃO SERÁ SUFICIENTE PARA IMPEDIR QUE A CAPACIDADE DE ATENDIMENTO SEJA SOBRECARREGADA PELA EPIDEMIA DO COVID-19, PORQUE EM QUALQUER CENÁRIO, UMA GRANDE PROPORÇÃO DA POPULAÇÃO SERÁ EXPOSTA À INFECÇÃO APÓS ESSE PERÍODO ”, DIZEM ELES NO ESTUDO. 

Grandes partes do mundo optaram por limitar a atividade de seus habitantes, enquanto a Suécia optou por manter uma linha mais aberta, com base nos conselhos de seus próprios profissionais. 

No entanto, o atual epidemiologista da Suécia, responsável pelo combate ao coronavírus, Anders Tegnell, reconheceu um ponto em que os suecos falharam: manter a infecção longe dos asilos. 

Mais mortes a longo prazo: 

Os resultados do estudo de Harvard podem provar que os suecos estão certos. Tentar superar o vírus agora pode resultar em muito mais estresse e mais mortes a longo prazo, sugerem os pesquisadores. Eles também concluem que esse vírus não desaparecerá por si próprio. Ou se devolve um remédio ou uma vacina ou não tem jeito. 

Conclusão dos pesquisadores: 

De acordo com o estudo, se escolas, locais de trabalho e locais esportivos forem fechados, eles devem estar preparados para fazer isso periodicamente até 2022. O distanciamento social pode ser concluído em 2021 se for aumentada a capacidade das unidades de terapia intensiva.

Referências: 

https://dash.harvard.edu/handle/1/42638988

https://dash.harvard.edu/bitstream/handle/1/42638988/Social%20distancing%20strategies%20for%20curbing%20the%20COVID-19%20epidemic.pdf

https://www.medrxiv.org/content/10.1101/2020.03.04.20031112v1 





VerOcultarComentários
Cancel